segunda-feira, 20 de março de 2017

O Irrepreensível Profeta Daniel era Gay?

Um dos grandes problemas, entre vários que observo nas pessoas, é que elas têm o hábito de confundir comum com certo e diferente com errado!

Vale salientar aqui é que a homossexualidade para Deus sempre foi algo "abominável ao Senhor", porém quanto a conduta homossexual do que esses tiveram como por exemplo: rei Davi, Jônatas e até o profeta Daniel, Deus não os viu ou considerou os como práticas de amores sexuais abomináveis. Ué, por que será, heim?!!! rsrsrs 

A bíblia mesmo que de modo bem camuflada e as escrituras sempre encarou a homossexualidade de modo muito livre e natural, porém a hipocrisia religiosa não permite que os mesmos sejam honestos e livres de fanatismo e de preconceitos quanto a algo natural do ser humano ou a práticas sexuais lícitas criada por Deus aos homens e mulheres.

Vamos aos fatos...!!!!






Quem criou o GAY?

O que é um eunuco? Era ser gay?
E se eunuco eram gay, foi "Deus" quem o criou? E se não foi, quem o criou? 


Mt. 19.12 Por que há: 

1º Eunucos de nascença
2º A quem os homens fizeram segundo tais, ou seja, a força 
3º A si mesmo se fizeram

Sendo assim o castramento livre ou a força ou que se fizera a si mesmo eunuco era para satisfazer o Reino dos céus?

 



quinta-feira, 2 de março de 2017

Criacionismo Maia e Asteca


Uma conversa edificante sobre sacrifícios, com milho regado a sangue. falando também sobre o criacionismo Maia e Asteca de forma bem descontraída.




João Batista batizou mesmo Jesus ou isto também é uma farsa?


João Batista batizou mesmo Jesus ou isto também é uma farsa?
obra o batismo de Jesus, por João Batista:
1 - É muito reduzida a literatura específica sobre este assunto, mesmo em língua estrangeira, quer em versões impressas como digitais;

2 - Historiadores de renome, simplesmente se omitem, "pulando" esta passagem. E a razão é simples: Ora, se o Jesus Cristo da fé é um mito, como defendem os mitologistas, a passagem do batismo, com a declaração de João reconhecendo Jesus como o filho de Deus, a voz tonitruante de Deus dizendo "Este é meu filho..." e a pomba do Espírito Santo, descendo sobre Jesus, tem de ser falsa também. Mas João Batista é um personagem histórico, que realmente existiu. E se aconteceu mesmo o batismo de Jesus, então é porque ele (Jesus de Nazaré) também existiu, não como descrito nos Evangelhos, mas talvez como um mortal comum. Se o batismo de Jesus for um fato histórico, isto poria por terra a teoria dos mitologistas e faria de Jesus um personagem real, mesmo não sendo aquele descrito nos Evangelhos. Seria um mortal comum que se dizia filho de Deus, um judeu (zelota?), nascido talvez na Galiléia, de pais desconhecidos pela história, messiânico e pregador ambulante, igual a tantos outros que existiram antes dele e depois dele. A diferença entre Jesus de Nazaré e os demais messias (a maioria executada pelo Império Romano ou pelos próprios judeus) é que Jesus teria sido escolhido para ser mitologizado.

3 - Segundo a Bíblia João Batista e Jesus eram primos e João era seis meses mais velho que Jesus

4 - Os Evangelhos se contradizem quanto ao batismo de Jesus por João Batista, sendo que um deles, o de João, sequer cita a passagem. Quando João Batista se encontrava na prisão, contam os Evangelhos que ele mandou dois emissários para perguntar se Jesus era realmente o "messias", dando a entender que não o conhecia. Mas como não saber que era o "messias" se foi ele próprio, João, quem o batizou e houve todo aquele espetáculo de Deus interferindo na cerimônia?! Dava para esquecer tão rapidamente?

5 - A própria passagem de João na prisão mandando dois emissários para investigar se Jesus era mesmo o messias teria de ser falsa porque, se para provar que Jesus não foi batizado por João essa passagem for considerada verdadeira, então é porque existia mesmo um tal "Jesus de Nazaré", ainda que não tivesse sido batizado por João.


segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Debate sobre o messianismo de Jesus

Há uma lamentável comportamento da maioria dos religiosos, que não sabem e nem querem nem ao menos repensar as suas ideias religiosas quando se deparam com a realidade nua e crua.
Os mesmos acham que pensar, questionar e duvidar é algo proibitivo, porque o que mais vale mesmo é a crença sustentada a todo custo, mostrando apenas o quão desleal e desrespeitoso é consigo mesmo quanto a honestidade intelectual.
Para que a humildade não seja trabalhada o orgulho por sua vez ganha destaque pela hipocrisia, em vista do que realmente se percebe o tamanho apego as suas crendices que querendo ou não é massacrado pela realidade.

As pessoas quando se trata de lidar com o lado analítico, razão e lógica, com relação as suas crenças e a religião, a mesma é dada e acreditada cegamente como algo "lógico" e "racional". Quando que na verdade é apenas para abrandar e alimentar o seu próprio ego, onde o que vale mesmo é dizer amém pra tudo, e pior de tudo....ficar preso exclusivamente de que todas as respostas estão na bíblia e que fora isso é tudo de inspiração humana e sem valor algum.

A fé ou crença prejudica a realidade! 




quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Miquéias 2:5 faz menção de Jesus?

> Miquéias 2:5 faz menção de Jesus? 
> Jesus de fato nasceu em Belém? 
> Houve mesmo um senso romano por Cézar Augusto?